segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Padres anglicanos casados causam críticas à Igreja Católica

O celibato é visto pelos católicos como simboliza o triunfo do espírito sobre a carne
Com a proximidade de mais um grupo de padres aglicanos tornarem-se sacerdotes, a polêmica em torno da decisão da Igreja Católica de aceitar não-celibatários ganha força.

A "nova regra" funciona desde 2009 para sacerdotes anglicanos, foi uma medida do papa Bento XVI, vista como uma forma de recuperar os fiéis que se afastavam da Igreja.

Para os que defendem a mudança, a revisão da questão celibatária iria resolver problemas como a escassez de sacerdotes em regiões mais afastadas, além de diminuir o número de deserções.

Segundo a BBC, só na Itália, estima-se que seis mil padres tenham abandonado a batina para assumir relacionamentos.

Conservadores

Para os mais conservadores, o celibato, imposto no século XII, simboliza o triunfo do espírito sobre a carne. Segundo eles, a mudança seria um golpe na Igreja em termos de imagem junto aos fiéis, já que "o celibato ajudou muito a Igreja em termos de carisma", disse Paul Sullins, que, apesar de casado, é um dos defensores do celibato.

À rede BBC, Sullins disse que "o exemplo de alguém que renuncia ao casamento e ao sexo numa sociedade tão sexualizada quanto a nossa é algo formidável. E este sacrifício tem um valor institucional importante para a Igreja".

Nenhum comentário: